Marina diz que PF investiga 18 focos de incêndio no Pantanal, maioria em propriedades privadas

Brigadistas combatem incêndio na região do Pantanal - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Brigadistas combatem incêndio na região do Pantanal - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira (1º) que o cenário no Pantanal é “desolador”, e que a Polícia Federal investiga a possível origem criminosa de 18 focos de incêndio no bioma.

Segundo a titular da pasta, a força tarefa que atua nos estados pantaneiros já identificou as áreas onde os incêndios podem ter começado: “o processo de investigação está em curso”.

“A PF está fazendo a investigação, a maioria está localizada em propriedade privada. O que tem de concreto que é sabemos de onde saiu a propagação, trabalhamos com tecnologia avançada. Nesse momento, tem coisas acontecendo no domínio da Justiça, em colaboração com a PF”, declarou Marina.

A declaração da ministra ocorre após reunião semanal da sala de situação sobre as queimadas no Pantanal e na Amazônia, no Palácio do Planalto. Esta é a terceira vez que o grupo, focado em combate ao crime nas áreas de floresta do país, se reúne.

O primeiro semestre de 2024 foi o mais devastador para o Pantanal em toda a série de registros históricos. Nos primeiros seis meses deste ano, 3.538 focos de incêndio consumiram 700 mil hectares no bioma, uma área quase seis vezes maior que a cidade do Rio de Janeiro.