Palestino é deportado após tentar desembarcar em SP, por suspeita de ligação com o Hamas

Palestino Muslim Abuumar, de 37 anos, foi retido no aeroporto de Guarulhos (SP) - Foto: Reprodução

A Justiça Federal de São Paulo decidiu autorizar neste domingo a deportação do palestino Muslim M. A Abuumar, de 37 anos, que estava retido no aeroporto de Guarulhos (SP) desde sexta-feira por suspeita de ligação com o grupo terrorista Hamas.

Ele já embarcou em um voo para Doha, no Catar, que seguirá depois para Kuala Lumpur, na Malásia, de onde ele partiu na última semana.

A juíza plantonista Millena Cunha decidiu revogar a liminar que havia concedido anteriormente para impedir a extradição, enquanto a Polícia Federal não fornecesse mais explicações sobre a apreensão do palestino.

A PF mostrou à Justiça que Abuumar consta em uma lista de pessoas ligadas ao Hamas.

As informações terim sido fornecidas à PF pelo Federal Bureau of Investigation (FBI), com o qual o órgão brasileiro possui acordos e protocolos de cooperação.

Oficialmente, a PF informou, em nota, que a “decisão judicial entendeu legítimos os motivos de impedimento, conforme acordos e convenções internacionais, e autorizou repatriar”.

Barrado no aeroporto com a família

Acompanhado do filho pequeno, da mulher grávida e da sogra, Abuumar foi barrado pela Polícia Federal quando desembarcou no Brasil vindo da Malásia – a família dele tem nacionalidade malaia.

Na ocasião, ele recebeu um documento de inadmissão dos agentes. “Eles resolveram voltar hoje por vontade própria, depois que souberam da decisão judicial”, acrescentou a PF.

Associações palestinas questionam ação da PF

A defesa de Abuumar e associações palestinas questionaram a ação da PF, afirmando que ele não tem relação com grupos terroristas e que não há nenhuma acusação formal contra ele.

“Isso não procede. Ele é um intelectual que defende a causa palesltina, o fim da perseguição palestina e o direito ao território palestino”, afirmou o advogado Bruno Henrique de Moura.

Segundo o advogado, ele é professor universitário e diretor do Centro de Pesquisa e Diálogo da Ásia, Oriente Médio, que tem sede em Kuala Lumpur.

A defesa disse que vai recorrer da decisão no Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

Visitas ao Brasil

Conforme registros em seu passaporte, Abuumar já havia viajado ao Brasil no ano passado, antes da guerra entre Israel e o Hamas. A defesa informou que o motivo da nova vinda dele era visitar o irmão, que mora em São Bernardo do Campo (SP).