Deputado cobra que hospital da UFRN abra pronto-socorro em Santa Cruz após caso do bebê com embalagem de bolo

Deputado Tomba Farias (PSDB) comentou caso do bebê que recebeu embalagem de bolo como máscara improvisada - Foto: Reprodução
Deputado Tomba Farias (PSDB) comentou caso do bebê que recebeu embalagem de bolo como máscara improvisada - Foto: Reprodução

O deputado estadual Tomba Farias (PSDB) cobrou nesta quinta-feira (13) que o Hospital Universitário Ana Bezerra, que funciona no município de Santa Cruz e é ligado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), abra um pronto-socorro infantil na cidade.

Atualmente, o hospital funciona no sistema de porta fechada, recebendo apenas pacientes regulados em leitos clínicos. O local é referência para assistência pediátrica.

A cobrança do deputado acontece poucos dias depois de um bebê de três meses receber uma embalagem de bolo como máscara improvisada enquanto estava internado no Hospital Municipal de Santa Cruz aguardando transferência para um leito de UTI (que não tem no Ana Bezerra). Tomba já foi prefeito da cidade e é aliado do atual gestor, o prefeito Ivanildinho Ferreira (PL).

Em pronunciamento na Assembleia Legislativa, Tomba Farias destacou que o hospital municipal de Santa Cruz não é destinado ao atendimento de urgência e emergência pediátrica e que a equipe médica fez uma improvisação para salvar a vida do bebê Gabriel.

Após três dias internado em Santa Cruz, Gabriel foi transferido na última terça-feira (11) para Natal e está no Hospital Infantil Varela Santiago. A Secretaria Estadual de Saúde afirma que o bebê não foi levado para o Ana Bezerra porque o hospital só tem leitos clínicos de pediatria, e ele precisava de UTI.

“Os recursos da assistência pediátrica são todos destinados pelo município ao hospital universitário Ana Bezerra, através da pactuação da saúde. A luta para que o hospital federal abra um pronto-socorro infantil vem de muitos anos, pois eles já fazem a assistência pediátrica, têm uma residência em pediatria e são referência no atendimento materno infantil”, defende o parlamentar.

Tomba revelou que o hospital municipal não atende pediatria, nem tem leitos pediátricos. “Como o hospital universitário não abre as portas para atendimentos de urgência infantil, os atendimentos são feitos no hospital municipal, mas todos os recursos para o atendimento pediátrico vão para o hospital federal”, enfatiza.