Coronel é morto no RN e garota de programa assume sua identidade durante quatro meses

Reprodução/TV Globo

Uma garota de programa é a principal suspeita de um assassinato em Natal, acontecido em agosto de 2022. A vítima é o coronel Roberto Antônio Perdiza, militar aposentado da Força Aérea Brasileira (FAB). Ele e uma mulher identificada como Jerusa tinham um relacionamento. Segundo a investigação, ela teria dito que era de outro estado e não tinha onde morar e, por isso, Perdiza havia oferecido o próprio apartamento, localizado em Ponta Negra.

As últimas imagens registradas do coronel mostram ele deixando seu apartamento para se encontrar Jerusa em um bar no dia 30 de agosto de 2022. Com a ausência do morador, após uma semana depois, o porteiro do edifício estranhou e entrou em contato com os familiares do militar, que moram em São Paulo. Contudo, os familiares do aposentado informaram que estavam recebendo mensagens e fotos dele.

Foi então que um advogado próximo à vítima parou de receber informações e começou a desconfiar da situação. Ele confirmou que chegou a falar com Jerusa para saber se tinha ocorrido algo, mas ela o informou que os dois estavam bem e que pediria para o coronel entrar em contato com o amigo. Entretanto, ao entrar em contato, o advogado notou que havia recebido um áudio antigo de Roberto Perdiza, e contatou a Polícia Civil.

De acordo com a investigação da corporação, Jerusa teria contratado um matador de aluguel, identificado como José Rodrigues, para matar o coronel aposentado e se apropriar do seu apartamento. O crime aconteceu no dia em que Perdiza foi visto pela última vez. O assassino teria se passado por motorista de aluguel e pego o casal na saída de um motel na Praia do Meio. O corpo foi encontrado três meses depois em avançado estado de decomposição, sem a cabeça e as mãos, em um terreno localizado fora de Natal. Jerusa e José foram presos, acusados de latrocínio.

Fonte: Novo Notícias